Memória da Música

> Banco de Dados - História e música na universidade

“A história é uma colcha de retalhos” Historiografia, linguagem e produção artística: política e tempo histórico na Ditadura Militar (Brasil, 1969 -1986).

Tipo de documento:
Tese de Doutorado

Autor:
Sérgio Alves de Souza

Orientador:
Marco Antonio da Silva

Local:
USP - FFLCH

Data:
2002

Publicação - Livros / Artigos

Assunto:
Estudo sobre a produção artística e cultural (teatro, cinema e música popular) durante a ditadura militar brasileira, através de uma via historiográfica que utiliza novas fontes, seguindo a tradição dos Annales.

Palavras-chave:
1969-1986; Ditadura Militar; Música popular brasileira; Tradição dos Annales; Produção artísitica

Resumo:
O trabalho analisa parte da produção cinematográfica, teatral e da música popular brasileira do período entre 1969 e 1986, buscando apreender as diferentes concepções de temporalidade presentes nestas obras. Como fundo, tem-se uma discussão de seus referenciais políticos e articulações com a historiografia e com materiais similares, porém com outras preocupações temáticas.
A abordagem passa por dois pontos centrais: uma conexão do viés critico das discussões de Vesentini sobre a memória histórica à abertura de novas fontes, vinculada à tradição dos Annales, e a proposição de uma articulação entre a Historiografia e a Semiótica Narrativa e Discursiva francesa, baseada na produção de A. J. Greimas e seus continuadores.

Fontes:
Discos e canções
• Mais de 80 canções e discos utilizados de Cazuza, Chico Buarque, Elis Regina, Geraldo Vandré, Gilberto Gil, Ivan Lins, Raul Seixas.

Filmes
• A idade da terra, dir. Glauber Rocha, 1980
• Chico rei, dir. Walter Lima Jr., 1986
• Macunaíma, dir. Joaquim Pedro de Andrade, 1969
• Os saltimbancos trapalhões, dir. J. B. Tanko, 1981
• Quilombo, dir. Cacá Diegues, 1984

Bibliografia específica:
Cultura e política brasileiras no período (análises, balanços, debates)
ARANTES, Paulo E. O fio da meada. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1996.
BANDEIRA, Moniz. O governo João Goulart. As lutas sociais no Brasil, 1961-1964. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1978.
CHAUÍ, Marilena. Conformismo e resistência – aspectos da cultura popular no Brasil. São Paulo, Brasiliense, 1986.
CHAUÍ, Marilena. Cultura e democracia. São Paulo, Moderna, 1982.
GABEIRA, Fernando. O que é isso companheiro? Rio de Janeiro, Codericri, 1981.
Gorender, Jacob. Combate nas trevas. São Paulo, Ática, 1987.
MOTA, Carlos Guilherme. A ideologia da cultura brasileira (1933-1974). São Paulo, Ática, 1978.
SODRÉ, Nelson W. História da história nova. Petrópolis, Vozes, 1986.
Wisnik, José M. Anos 70: música popular. Rio de Janeiro, Europa, 1979-1980.

História e historiografia (debates teóricos, tradições, perspectivas)
ARENDT, Hannah. Sobre a revolução. Lisboa, Moraes, 1971
BENJAMIN, Walter. “Sobre o conceito de história”. In: Magia e técnica, arte e política. São Paulo, Brasiliense, 1986.
BRAUDEL, Fernand. La historia y las ciencias sociales. Madrid, Alianza, 1970.
BURKE, Peter. A revolução francesa da historiografia: a Escola dos Annales (1929-1989). São Paulo, Unesp, 1991.
CERTEAU, Michel de. A escrita da história. Rio de Janeiro, Forense Universitária, 1982.
DECCA, Edgar de. O silêncio dos vencidos. SP, Brasiliense, 1984.
FREYRE, Gilberto. Casa-Grande e Senzala. RJ, Record, 1994 (1933).
POPPER, Karl. A miséria do historicismo. SP, Cultrix/Edusp, 1980.
SOUZA, Laura de Mello e. O diabo e a Terra de Santa Cruz: feitiçaria e religiosidade popular no Brasil Colonial. São Paulo, Cia. das Letras, 1986.
STONE, Lawrence. O ressurgimento da narrativa – reflexões sobre uma nova velha história. RH, 2/3: 13-37, Campinas, 19.
THOMPSON, E. P. A miséria da teoria ou um planetário de erros. RJ, Zahar, 1978.
VARNHAGEN, F. A. Os holandeses no Brasil. SP, Cultura, 1943.
VEYNE, P. Comment on écrit L’Histoire. Paris, Éditions du Seuil, s/d.

apoios

2014 © Entre a Memória e a História da Música.