Memória da Música

> Banco de Dados - História e música na universidade

A construção do gosto – música e sociedade na corte do RJ – 1808-1821.

Tipo de documento:
Tese de Doutorado

Autor:
Maurício Mário Monteiro

Orientador:
Maria Beatriz Marques Nizza da Silva

Local:
USP - FFLCH

Data:
2001

Publicação - Livros / Artigos

Assunto:
Estudo sobre as práticas musicais no Brasil durante a presença da Coroa portuguesa, entre 1808-1821, levando em conta as influências vindas da Europa em razão, justamente, do estabelecimento da Coroa portuguesa no Rio de Janeiro.

Palavras-chave:
1808-1821; Corte Portuguesa no Brasil; Música Cortesã; Gosto musical; Rio de Janeiro

Resumo:
Discussão sobre as práticas musicais no Brasil no tempo de D. João VI, partindo de uma construção de um determinado tipo de gosto, implantado com os hábitos cortesãos. O desembarque foi motivo de surpresas para os dois lados. A maioria que chegava ou que já esperava no porto do Rio de Janeiro observou práticas diferentes, eram reinóis, um observando o outro. As atividades cortesãs tiveram de conviver em um ambiente diferente de Lisboa, sobretudo quando se trata do ambiente do Rio Joanino; e os cariocas, por sua vez, deveriam observar os costumes e as práticas da Corte. O resultado dessa convivência pode ser percebido nas articulações culturais entre um e outro. D. João Vi transformou o cenário carioca, criou instituições típicas da vida monárquica, como a capela e a câmara reais, os palácios da Boa Vista e de São Cristóvão. Essas instituições foram importantes para as práticas musicais e para o processo de profissionalização dos músicos que estiveram a serviço da Corte.

Fontes:
Impresas
• Documentos retirados/vistos no IEB/USP, nas coleções Lamêgo e João Fernandes de Almeida Prado.
• DEBRET, Jean-Baptiste. Viagem pitoresca através do Brasil. Belo Horizonte/SP, Itatitaia/Edusp, 1978.
• RUGENDAS, João Maurício. Viagem pitoresca através ao Brasil. SP, Martins Fontes, 1954.
• SAINT-HILAIRE, Auguste de. Viagens pelas províncias do Rio de Janeiro e Minas Gerais. BH/SP, Itatitaia/Edusp, 1974.
• SPIX e MARTIUS. Viagem pelo Brasil: 1817-1820. Vol. I-III, 4a. ed. Belo Horizonte/São Paulo, Itatiaia/Edusp, 1981.

Periódicos
• Gazeta do Rio de Janeiro (1808/1821)
• O patriota (1813/1814)

Iconográficas (figuras de)
• Jean-Baptiste Debret
• Johann Moritz Rugendas
• Maximilam Wied-Neuwied
• Thomas Ender

Bibliografia específica:
Obras específicas
ANDRADE, Mário de. Modinhas imperiais. Prefácio. São Paulo, Casa Chiarato, L. G. editora, 1930.
CERNICCHIARO, Vincenzo. Storia della musica nel Brasile dai tempi coloniali sino ai nostri giorni – 1549-1925. Milano, Fratelli Riccioni, 1926.
FAORO, Raymundo. Os donos do poder: formação do patronato político brasileiro. Porto Alegre, Globo, 1976.
PRADO JR., Caio. História econômica do Brasil. São Paulo, Brasiliense, 1981.
RAYNOR, Henry. História social da música: da Idade Média a Beethoven. Rio de Janeiro, Zahar, 1972.

Obras gerais
ADORNO, Theodor W. El arte en la sociedad industrial. Buenos Aires, Rodolfo Afonso, 1973.
ALEXANDRE, Valentim. Os sentidos do império. Porto, Edições Afrontamento, 1993.
BENJAMIN, Walter. Textos básicos de Ciências Sociais – Sociologia da arte IV. RJ, Zahar, 1969.
BOURDIEU, Pierre. As regras da arte. SP, Cia das Letras, 1996.
BURKE, Peter. A cultura popular na idade moderna: Europa, 1500-1800. São Paulo, Cia. das Letras, 1989.
CALDAS, Waldenyr. Uma utopia do gosto. SP, Brasiliense, 1988.
CANDIDO, A. Formação da literatura brasileira (1750-1836). Belo Horizonte, Itatiaia, 1993.
CONTIER, Arnaldo Daraya. Música e ideologia no Brasil. 1a ed. São Paulo, Novas Metas, 1978.
CONTIER, Arnaldo Daraya. Música no Brasil: História e interdisciplinaridade; algumas interpretações (1926-1980). Revista História em Debate – Anais do XVI Simpósio da ANPUH – Rio de Janeiro, 22-26 de julho de 1991. Rio de Janeiro, CNPq, 1991, pp. 151-189.
DUPRAT, Regis. A música na Bahia colonial. Revista de História. SP, FFLCH/USP, n 61, 1965.
HUNT, Lynn. A nova história cultural. SP, Martins Fontes, 1995.
PRADO JR., Caio. Evolução política no Brasil – Colônia – Império. SP, Brasiliense, 1988.
TINHORÃO, José Ramos. História social da música popular brasileira. Lisboa, Caminho, 1990.
WEBER, Max. Os fundamentos racionais e sociológicos da música. SP, Edusp, 1995.

apoios

2014 © Entre a Memória e a História da Música.