Memória da Música

> Banco de Dados - História e música na universidade

Canto que ha sido valiente siempre será canción nueva : o cancioneiro de Víctor Jara e o golpe civil-militar no Chile

Tipo de documento:
Dissertação de mestrado

Autor:
Sílvia Sônia Simões

Orientador:
Cesar Augusto Barcellos Guazzelli

Local:
UFRGS

Data:
2011

Publicação - Livros / Artigos

Palavras-chave:
Década de 1970; Música e Política; Música e Política; Engajamento; Chile

Resumo:
Esta dissertação tem por objetivo central demonstrar, por meio da análise da discografia do compositor e intérprete chileno Víctor Jara, e, mais especificamente, de seu disco La Población, que a subjugação dos movimentos populares, já no imediato pós-golpe civilmilitar chileno de 11 de setembro de 1973, foi tão ou mais importante do que a dos canais propriamente políticos, explicitados na Unidad Popular e no governo de Salvador Allende. Decorrente deste problema geral, verificam-se os mecanismos de Terror de Estado adotados na primeira fase da ditadura chilena (11 de setembro a 31 de dezembro de 1973), apontando seus desdobramentos no marco legal e institucional e atentando para os efeitos de tais medidas na desestruturação dos movimentos populares de então. A partir disso é possível apreender o antagonismo existente entre a visão de mundo que se impôs no Chile a partir do golpe de Estado e a vida e obra deste artista, concluindo que sua execução no Estadio Chile insere-se nos mecanismos centrados no terror como “exemplo” aos setores que apoiavam ou se identificavam com o governo da Unidad Popular.

apoios

2014 © Entre a Memória e a História da Música.