Memória da Música

> Banco de Dados - História e música na universidade

Música em 78 rotações: “discos a todos os preços” na São Paulo dos anos 30.

Tipo de documento:
Dissertação de mestrado

Autor:
Camila Koshiba Gonçalves

Orientador:
Elias Thomé Saliba

Local:
USP - FFLCH

Data:
2006

Publicação - Livros / Artigos

Descritivo:
Editado como artigo. Ver ficha específica.

Assunto:
Produção de discos 78 rpm na São Paulo dos anos 1930 e a relação das empresas fonográficas com as empresas de radiofonia.

Palavras-chave:
Década de 1930; Indústria Fonográfica; Discos 78 rpm; Radiofonia; São Paulo.

Resumo:
Dissertação em formato digital
http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-05072007-111701/

Investiga os caminhos trilhados pelas gravadoras de discos 78 rpm que atuaram na cidade de São Paulo, desde a inauguração da gravação elétrica até a consolidação do rádio. Analisa o processo de incorporação, seleção ou recriação das empresas fonográficas diante da produção musical brasileira. A tecnologia elétrica conferiu uma densidade sonora inédita à reprodução das músicas e alterou profundamente a experiência auditiva do ouvinte, a forma de conceber a gravação de sons por parte das companhias fonográficas e a sua relação com as empresas de radiofonia, criando um modelo de atuação que será utilizado ao longo de todo o século 20.

Fontes:
Periódicos
• Revista Phono – Arte (1928-1931)
• Diário Nacional (1927-1931)
• Correio Paulistano (1934-1936)
• O Estado de S. Paulo (1932)

Gravações:
• Acervo Roberto Gambardella
• Acervo Instituto Moreira Salles
• Acervo do Centro Cultural
• Acervo de Mário de Andrade (IEB/USP)

Fontes oficiais:
• Estatística Industrial do Estado de São Paulo (1928-1932)
• Junta Comercial do Estado de São Paulo (s.d.)

Liras
• A cigarra. São Paulo, Tipografia Souza, 1931.
• As mais lindas modinhas. Rio de Janeiro, Almeida e Comercial Torres, 1928.
• Canções e fados luzitanos. São Paulo, Tipografia Souza, 1931.
• Isalinda Seramota. O rouxinol do Tua. São Paulo, Tipografia Souza, 1932.
• Letras para São João. São Paulo, Tipografia Souza, 1935.
• Lyra da serenata. São Paulo, Livraria Zenith, 1938.
• Novo cancioneiro paulistano. São Paulo, Livraria Editora Paulicea, Jan. 1930
• O cancioneiro do Brasil. s.l., s.c.p., s.d.
• Patinando. São Paulo, Tipografia Souza, s.d.
• Trovador da juventude. São Paulo, Livraria Editora Paulicea, jul. 1927; jan. 1930.
• Zequinha de Abreu. São Paulo, Tipografia Souza, s.d.

Depoimentos
• Alberto Marino Jr., 30/6/2004
• Antonio D’ Áurea, MIS-SP, fitas 75.5 a 75.12
• Sorocabinha, MIS-SP, fita 113.2-4
• Paraguassu, MIS-SP, fita 113.19.20.20-a

Bibliografia específica:
ADORNO, Theodor. O fetichismo na música e a regressão da audição. In: Benjamin, Adorno, Horkheimer, Habermas. Col. Os pensadores, São Paulo, Abril Cultural, 1980.
ALENCAR, Edigar de. Nosso Sinhô do samba. Rio Janeiro, Civilização Brasileira, 1968.
ALMEIDA, Renato.História da música brasileira. 2a ed. Rio de Janeiro, F. Briguiet, 1942.
ALMIRANTE. No tempo de Noel Rosa. Rio de Janeiro, Ed. Livraria Francisco Alves, 1963.
ANDRADE, Mário de. Aspectos da música brasileira. 2a ed. São Paulo, Livraria Martins Ed., 1975.
ANDRADE, Mário de. Ensaio sobre a música brasileira. 3a ed. São Paulo, Martins, 1972.
ANDRADE, Mário de. Música, doce música. São Paulo, Martins Fontes, 1963.
APROBATO FILHO, Nelson. Sons da metrópole: entre ritmos, ruídos, harmonias e dissonâncias; as novas camadas sonoras da cidade de São Paulo (final do século XIX início do XX). São Paulo, FFLCH/USP, 2001. Dissertação de Mestrado.
BENJAMIN, Walter. A obra de arte na época de suas técnicas de reprodução e outros estudos. In: Os pensadores. São Paulo, Abril Cultural, 1975. p. 11-34.
BLOCH, Marc. Apologia da história ou o ofício do historiador. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 2001.
BOSI, Alfredo. Plural, mas não caótico. In: Cultura brasileira: temas e situações. São Paulo, Ática, 1992. p. 7-15
CALDAS, Waldenyr. Acorde na aurora: música sertaneja e indústria cultural. São Paulo, Cia. Editora Nacional, 1979.
COHN, Gabriel (org.). Comunicação e indústria industrial. São Paulo, Cia. Editora Nacional, 1971.
CONTIER, Arnaldo Daraya. Brasil novo: música, nação e modernidade, os anos 20 e 30. São Paulo, Tese de Livre Docência, DH – FFLCH/USP, 1988.
CONTIER, Arnaldo Daraya.Memória, história e poder: a sacralização da nacional e do popular na música. In: Revista Música, maio de 1991.
CONTIER, Arnaldo Daraya. Música e História. In: Revista de História, n. 119, São Paulo, FFLCH-USP/Humanitas, jul.-dez. 1985-1988.
CERTEAU, Michel de. A escrita da história. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 2000.
CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano – 1 – Artes de fazer. 4a ed., Petrópolis, Vozes, 1999.
ECO, Umberto. Apocalípticos e integrados. São Paulo, Perspectiva, 1970.
FEBVRE, Lucien. Combates pela história. Lisboa, Presença, 1989.
HOBSBAWM, Eric. História social do Jazz, 2a ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1990.
HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. 25a ed. Rio de janeiro, José Olympio, 1993.
HOLANDA, Sérgio Buarque de. Caminhos e fronteiras. 3a ed. São Paulo, Cia das Letras, 1995.
EFEGÊ, Jota. Figuras e coisas da música popular brasileira. Rio de Janeiro, Funarte, 1978. v. 1 e 2
MARIZ, Vasco. Três musicólogos brasileiros: Mário de Andrade, Renato Almeida, Luiz Heitor Correa de Azevedo. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira/INL, 1983.
MORAES, José Geraldo Vinci de. As sonoridades paulistanas: a música popular na cidade de São Paulo. Final do século XIX e início do século XX. Rio de Janeiro, Funarte, 1995.
MORAES, José Geraldo Vinci de. História e música: canção popular e conhecimento histórico. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 20, n. 39, p. 203-221, 2000.
MORAES, José Geraldo Vinci de. Metrópole em sinfonia: história, cultura e música popular em São Paulo nos anos 30. São Paulo, Tese de Doutorado, DH – FFLCH/USP, 1997.
MORSE, Richard. Formação histórica de São Paulo (de comunidade à metrópole). São Paulo, Difusão Européia do Livro, 1970.
NAPOLITANO, Marcos.Seguindo a canção: engajamento político e indústria cultural na MPB (1959-1969). São Paulo, Annablume/Fapesp, 2001.
NAPOLITANO, Marcos. História e música. Belo Horizonte, Autêntica, 2002.
ORTIZ, Renato. A moderna tradição brasileira. São Paulo, Brasiliense, 1994.
PEDRO, Antonio. Samba da legitimidade. São Paulo, FFLCH/USP, 1982. Dissertação de Mestrado.
PEDRO, Antonio. Locomotiva no ar: rádio na cidade de São Paulo 1924-1934. São Paulo, FFLCH/USP, 1987. Tese de Doutorado
SALIBA, Elias Thomé. Juó Bananére, o Raté do modernismo paulista. Cópia da 1a versão, apresentado na SBPC, 1996.
SALIBA, Elias Thomé. Raízes do riso: a representação humorística na história brasileira; da belle époque aos primeiros tempos do rádio. São Paulo, Cia. das Letras, 2002.
SEVCENKO, Nicolau. A capital irradiante: técnica, ritos e ritmos do Rio. In: História da vida privada no Brasil: da belle époque à era do rádio. São Paulo, Cia. das Letras, 1999.
SEVCENKO, Nicolau. Literatura como missão: tensões sociais e criação cultural na Primeira República. São Paulo, Brasiliense, 1995.
SEVCENKO, Nicolau.Orfeu extático na metrópole: São Paulo sociedade e cultura nos frementes anos 20. São Paulo, Cia. das Letras, 1992.
TATIT, Luís. O século da canção. Cotia, Ateliê, 2004.
TATIT, Luís. Semiótica da canção: melodia e letra. São Paulo, Escuta, 1999.
TINHORÃO, José Ramos. Música popular: do gramofone ao rádio e à TV. São Paulo, Ática, 1981.
TINHORÃO, José Ramos. Música popular: os sons que vêm da rua. Rio de Janeiro, Edições Tinhorão, 1973.
TINHORÃO, José Ramos. Pequena história da música popular. São Paulo, Círculo do Livro, s.d.
WISNIK, José Miguel. Getúlio da paixão cearense. In: O nacional e o popular – música. São Paulo, Brasiliense, 1982.
WISNIK, José Miguel. O coro dos contrários: a música em torno da semana de 22. São Paulo, Duas Cidades, 1977.
WISNIK, José Miguel. O som e o sentido. São Paulo, Cia. das Letras/ Círculo do Livro, 1989.

apoios

2014 © Entre a Memória e a História da Música.